Transformando chinelos velhos em objetos de arte

Chinelos velhos são transformados em obras de arte e objetos de decoração

Estas peças de arte são ideias da empresa Ocean Sole. Com sede em Nairóbi, capital do Quênia, o negócio reaproveita sandálias velhas e outras peças de borracha encontradas nas praias do país. O resultado do trabalho são criações lúdicas que chegam a ser vendidas para jardins zoológicos, aquários e lojas de nicho de 20 países.

Os chinelos que chegam na costa do Quênia são limpos e recolhidos pelo pessoal da Ocean Sole. Os chinelos são lavados, lixados e então colados em grandes blocos, que servem como a base material para uma equipe criativa de artesãos locais criarem elefantes, girafas, leões, rinocerontes e muitos animais africanos.

Ocean Sole visa reciclar cerca de 400.000 chinelos da costa queniana a cada ano, reduzindo a poluição de plástico nas praias do país ao criar conscientização local sobre a poluição e reciclagem. A empresa também está criando oportunidades de trabalho locais. Em sua sede em Nairobi, a Ocean Sole fornece trabalho para cerca de 100 pessoas. Além disso, um grande número de pessoas são pagos para coletar chinelos descartados.

“Meu objetivo é criar uma mudança na forma como as pessoas vivem e mudar a forma como as pessoas entendem o mundo e suas conexões”, diz Julie Church, fundadora da Ocean Sole.

“A poluição em todos os nossos cursos de água é um grande problema”, diz Church, “Os rios estão entupidos com plástico e borracha”, ela acrescenta. “Quando as pessoas dizem que o oceano é uma sopa de plástico, é porque o plástico não vai embora – ele só se decompõe em partes menores”.

Segundo os cientistas, o tempo de decomposição desses resíduos varia de 100 a 600 anos. Em grandes quantidades no fundo dos oceanos, são alguns dos principais vilões da vida marinha, responsáveis pela morte de peixes, crustáceos e outras espécies.

Abaixo, podemos observar algumas das peças criadas pela Ocean Sole:
















Comentários

Postagens mais visitadas